ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

SEIS PARTITAS (BWV 825-830)

Última modificação : Quarta, 29 Abril 2015 17:22



JOHANN SEBASTIAN BACH  (1685-1750)

ALEMÃO – ERA BARROCA - 972 OBRAS 


AS SEIS PARTITAS, BWV 825-830 

Bach começou a trabalhar nas partitas em 1723 sofrendo, sem dúvida, muitas interrupções. A cada ano surgia uma nova partita até que finalmente em 1731, a coleção estava completa. Verificando que a edição em fascículos isolados havia conquistado o favor do público, Bach reuniu, em 1731, todas as seis sob o título Exercícios para Teclado” (Klavierübung), consistindo de Préludes, Allamandes, Courantes, Sarabandes, Gigues, Minuets. Como bom pai de família e administrador prudente, ele as publicou isoladamente, arcando com todas as despesas.  A coletânea das partitas foi publicada em três ocasiões distintas: 1726, 1730 e 1731, sendo que a primeira publicação foi chamada de “Opus 1 e foi dedicada “ao deleite dos amantes da música”.


A primeira partita das coletâneas era a de nº 1, em Si bemol Maior (BWV 825). No catálogo de Breitkopf, de 1790, o “Klavierübung” de Bach elas aparecem sob o título “6 Partite Tedesche” (Seis Partitas Alemãs). Em sua grandiosa síntese estilística, essas suítes são indubitavelmente “alemãs”. Da mesma forma, “partita” – o nome italiano para “suíte” – também não deixa de ter fundamento, já que nessa obra Bach declara-se claramente a favor de uma escrita do tipo italiano. Na Partita nº 1, por exemplo, a viva gigue (assim na denominação original) emprega a técnica das mãos cruzadas e superpostas, da qual valeu-se muitas vezes anteriormente Domenico Scarlatti, e chega a incluir as oitavas do baixo, que Bach costumava cuidadosamente evitar. 


As Seis Partitas BWV 825-830, a terceira e última compilação de suítes são, seguramente, o produto mais maduro de Bach nesse campo. Sua energia estrutural, riqueza de idéias e a beleza sonora da sua escrita para teclado são de uma perfeição quase insuperável. Apesar de manterem o esquema fundamental da suíte alemã, na base dos quatro movimentos habituais – Allemande, Courante, Sarabande e Gigue – elas assumem liberdades espantosas na forma. Bach não somente introduz cada partita com um movimento de abertura de caráter sempre diversificado – nas Suítes Inglesas ele ainda denominava esses movimentos uniformemente de “prelúdios” – mas também incorpora, juntamente com as galanterias tão apreciadas então, peças características que não seguem nenhum ritmo de dança. 

Construídas com suprema arte, as Partitas de Bach marcam o ponto culminante e final de um longo processo de desenvolvimento. Nelas, a história das suítes alemãs para teclado encontra seu termo.


 

Partita nº1 em Si bemol Maior, BWV 825

         Praeludium

         Allemande

         Courante

         Sarabande

         Menuet I; Menuet II

         Gigue  


 


Partita nº 2 em Dó menor, BWV 826

         Sinfonia

         Allemande

         Courante

         Sarabande

         Rondeau

         Capriccio  



Partita nº 3 em Lá menor, BWV 827

         Fantasia

         Allemande

         Corrente

         Sarabande

         Burlesca

         Scherzo

         Gigue  



Partita nº 4 em Ré Maior, BWV 828

         Overture 

         Allemande

         Courante

         Aria

         Sarabande

         Minuetto

         Gigue  



Partita nº 5 em Sol Maior, BWV 829

         Praeambulum 

         Allemande

         Corrente

         Sarabande

         Tempo di Minuetto

         Passepied

         Gigue  



Partita nº 6 em Mi menor, BWV 830

         Toccata

         Allemande

         Corrente

         Air

         Sarabande

         Tempo di Gavotta

         Gigue.   



Vídeos