ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

CANTATA “WACHET AUF, RUFT UNS DIE STIMME” (“SLEEPERS WAKE, THE VOICE IS CALLING”), BWV 140

Última modificação : Quarta, 18 Setembro 2013 17:06


JOHANN SEBASTIAN BACH  (1685-1750)

ALEMÃO – ERA BARROCA - 972 OBRAS

 

 Wachet auf, ruft uns die Stimme” (“Sleepers wake, the voice is calling”), BWV 140 


Obra escrita em 1731 foi dedicada às festas da Trindade e estreou em 25 de novembro do mesmo ano. Sem dúvida alguma, esta cantata é considerada uma obra-prima. Foi composta para três vozes solistas – soprano, tenor e baixo, mais coro, trompa, dois oboés, oboé da caccia, violino piccolo, arcos e baixo contínuo. Possui uma bela orquestração, na qual se evidenciam os contrapontos de alguns instrumentos de sopro, sobretudo o oboé da caccia e a trompa, e também se destaca pela suprema beleza de sua linha melódica.


O texto é do hino luterano escrito por Philipp Nicolai (1556-1608) e baseia-se na parábola das 10 Virgens – Evangelho segundo São Mateus 25:1-13, retratando a volta de Jesus Cristo – o noivo – que vem ao encontro da alma – a noiva.  É uma analogia do amor entre Cristo e a alma, sendo que esta representa os cristãos. Amor místico e devoção religiosa andam lado a lado.O coro de abertura é uma grandiosa fuga, onde texto e orquestra se entrelaçam nas 7 partes da peça. As 12 batidas dos primeiros compassos, simbolizam o sino da meia noite. Os dois duetos apaixonados são diálogos entre Jesus (baixo) e a alma (soprano). O primeiro dueto com violino piccolo traduz romantismo, enquanto o segundo é uma dança. O quarto movimento é o coral mais famoso de J.S.Bach.


A quarta parte desta cantata é o coral a ser apresentado esta noite, com uma transcrição para grande orquestra de Gláucio Zangheri. Por volta de 1748, Bach fez a transcrição desse movimento para órgão (BWV 645) a qual foi publicada em conjunto com outras cinco transcrições com o nome de Schübler Chorales.


Vídeo