ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

9ª SINFONIA EM RÉ MENOR, OP. 125 - CORAL

Última modificação : Segunda, 07 Maio 2018 11:13




LUDWIG VAN BEETHOVEN (1770 – 1827)

ALEMÃO – ERA CLÁSSICA – 398 OBRAS 


Sinfonia No.9 em ré menor, Op.125 ("Choral") (AVEC CHOEURS)

 

Movimentos: 4

I. Allegro ma non troppo, un poco maestoso

II. Scherzo: Molto vivace - Presto

III. Adagio molto e cantabile

IV. Presto; Allegro molto assai (Alla marcia); Andante maestoso;

Allegro energico, sempre ben marcato

 

Ano da composição: 1822-24

Primeira apresentação: 07 de maio de 1824, em Vienna, no Kärntnertortheater

Michael Umlauf (regente) e Ludwig van Beethoven (lugar de honra no palco)

Primeira publicação: Agosto de 1826 - Mainz: Schott, Plates 2322 (partitura completa), 2321 (partes)

Libreto: Friedrich Schiller (1759–1805)

Idioma: Alemão

Dedicatória: König Friedrich Wilhelm III. von Preußen

Duração média: 65 minutos

Estilo: Romântico

 

Instrumentação vocal: solistas e orquestra

Solistas SATB e coro misto (SATB)

 

Instrumentação orquestral:

piccolo, 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetes (B, C), 2 fagotes, contrafagote, 4 trompas (D, B basso, E), 2 trompetes (D, B), 3 trombones, tímpanos, címbalos, triangulo, bombo (caixa baixo), cordas.

 

 

Foi escrita para a Sociedade Filarmônica de Londres, com um coro de vozes gloriosamente entoando o poema de F.V. Schiller (1759 – 1805) – An die Freude (Ode à Alegria). Em apenas 18 belíssimas estrofes, o poeta celebrava os valores do Iluminismo. Este projeto estava em aberto desde a adolescência de Beethoven, quando leu o poema pela primeira vez em 1792, e comoveu-se com a maravilhosa exaltação à fraternidade humana contida nos versos.

 

Esse sentimento ficou latente por 32 anos e a Nona Sinfonia foi concluída somente em fevereiro de 1824. Foi apresentada ao público em 07/05/1824 num concerto de gala no Teatro Kärntnertor de Viena. No final da apresentação houve um delírio total da plateia, sem que Beethoven sequer percebesse, devido à sua surdez total. Uma cantora virou-o ao público para que ele recebesse os aplausos. Essa foi a última vez que o compositor pisou num palco.

 

É uma das obras mais conhecidas do repertório ocidental, considerada ícone e predecessora da música romântica.

 

A Sinfonia n.º 9 tem um papel cultural de extrema relevância no mundo atual. Em especial o último movimento, chamado informalmente de "Ode à Alegria", foi rearranjada por Herbert von Karajan para se tornar o hino da União Europeia. Outra prova de sua importância na cultura atual foi o valor de 3,3 milhões de dólares atingido pela venda de um dos seus manuscritos originais, feita em 2003 pela Sotheby's, de Londres. Segundo o chefe do departamento de manuscritos da Sotheby's na época, Stephen Roe, a sinfonia "é um dos maiores feitos do homem, ao lado do Hamlet e do Rei Lear, de Shakespeare".

 

Foi apresentada pela primeira vez em 07 de maio de 1824, no Kärntnertortheater, em Viena, na Áustria. O regente foi Michael Umlauf, diretor musical do teatro, e Beethoven - dissuadido da regência pelo estágio avançado de sua surdez - teve direito a um lugar especial no palco, junto ao maestro.

 


Vídeo



 

LEIA TAMBÉM:

 

A Nona Sinfonia de Beethoven






 

Fontes:

 

. IMSLP/Petrucci Music Library

 

. Wikipedia.org