ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

AS QUATRO ESTAÇÕES - INVERNO

Última modificação : Quarta, 04 Março 2020 15:12




ANTONIO LUCIO VIVALDI (1678 – 1741)

ERA BARROCA - ITALIANO - c. 811 OBRAS 


AS QUATRO ESTAÇÕES – CONCERTOS PARA VIOLINO, CORDAS E CRAVO, OP.8

Os concertos “As Quatro Estações” foram publicados em Amsterdã em 1725 com mais oito concertos sob o nome Opus 8. Porém, as datas exatas da composição desses concertos não são conhecidas. Esse conjunto ficou popularmente conhecido por "Il Cimento dell'Armonia e dell'Invenzione" – “Experiência de Harmonia e Invenção” (“invenção”, neste contexto, refere-se ao desenvolvimento contrapontístico), um testamento do admirável teor de técnica intelectual e fantasia criativa de Vivaldi. As Quatro Estações é, acima de tudo, a celebração da rica impressão individual das mudanças de estações, inspirando a evocação do universo inteiro de emoções associadas a elas. Vivaldi esforçou-se para completar a experiência de seu público exibindo pinturas e sonetos para os músicos e para a platéia. A autoria destes sonetos demonstrativos não é confirmada, embora muitos acreditem que eles descrevem a música tão bem que Vivaldi é um perfeito candidato a lhes ter escrito.  


O Inverno - soneto

Agitado tremor traz a neve argêntea;
Ao rigoroso expirar do severo vento
Corre-se batendo os pés a todo momento
Bate-se os dentes pelo excessivo frio.

Ficar ao fogo quieto e contente
Enquanto fora a chuva a tudo banha;
Caminhar sobre o gelo com passo lento
Pelo temor de cair neste intento.

Girar forte e escorregar e cair à terra;
De novo ir sobre o gelo e correr com vigor
Sem que ele se rompa ou quebre.

Sentir ao sair pela ferrada porta,
Siroco, Borea e todos os ventos em guerra;
Que este é o Inverno, mas tal, que [só] alegria porta.


Inverno - análise:
O primeiro movimento une-se à primeira estrofe. O segundo, de curta duração, prende-se apenas aos dois primeiros versos da segunda estrofe. Os demais versos estão vinculados ao terceiro movimento, desenvolvendo-se num crescendo que transmite otimismo. Podemos sentir a imagem de alguém tremendo sem parar sobre a neve, castigado pelo severo soprar do vento cortante, a sensação de correr batendo os pés a todo o instante e o bater dos dentes em um frio intenso. Em seguida, o aconchego de ficar ao fogo, quieto e satisfeito, enquanto a chuva do lado de fora a tudo banha, pode ser perfeitamente sentido pelo doce e expressivo solo de violino do segundo movimento, e também pelo pizziccatto da orquestra imitando a chuva. O terceiro movimento sugere o caminhar sobre o gelo, a passos lentos, com medo de cair, o caminhar com mais decisão e cair sobre a terra, novamente, ir sobre o gelo e correr forte, sem que o gelo se rompa. Ao final podemos sentir, apesar do frio, dos ventos e da neve, a alegria. 
 


INVERNO, CONCERTO Nº4 EM FÁ MENOR, RV297

Allegro non molto

Largo

Allegro. 


Nota: RV significa Ryom Verzeichnis - Catálogo de Ryom (1974). Peter Ryom (1937 - ) foi um erudito dinamarquês, autor do principal catálogo das obras do Padre Ruivo.



Vídeo