ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

LACERDA, OSVALDO COSTA DE (1927 - 2011)

Última modificação : Sexta, 06 Novembro 2015 16:12



BRASILEIRO – MÚSICA MODERNA– NACIONALISTA – C.630 OBRAS 

 

Osvaldo Costa de Lacerda nasceu em São Paulo, SP, Brasil, em 23 de Março de 1927. Faleceu em 18 de julho  de  2011 em São Paulo.


Aos nove anos de idade, iniciou seus estudos de piano com  Ana Veloso de Rezende, continuando-os, mais tarde, com Maria dos Anjos Oliveira Rocha e José Kliass. Aprendeu os primeiros rudimentos de Harmonia e Contraponto com Ernesto Kierski, de 1945 a 1947. No final da década de 1940, teve aulas de técnica vocal com a cantora russa exilada Olga Urbany de Ivanow. De 1952 a 1962, estudou Composição com Mozart Camargo Guarnieri, a quem deve o início de sua carreira, e sob cuja orientação formou sua personalidade de compositor. Seu estilo caracteriza-se por um refinado nacionalismo, fruto de extenso conhecimento das características da música brasileira, aliado a sólido domínio das técnicas modernas de composição. 

 

Em 1963, passou um ano nos Estados Unidos, sob os auspícios da John Simon Guggenheim Memorial Foundation, tendo sido o primeiro compositor brasileiro a usufruir uma bolsa de estudos dessa importante Fundação. Teve, então, aulas de Composição com Vittorio Giannini, em Nova York, e Aaron Copland, em Tanglewood.

 

No final da década de 1970 e princípio da de 1980, aconselhou-se em orquestração com o maestro Roberto Schnorrenberg. Em maio de 1965, foi um dos compositores que o Ministério das Relações Exteriores enviou aos Estados Unidos, para representar o Brasil no Seminário Interamericano de Compositores, na Universidade de Indiana, e no IIIº Festival Interamericano de Música, em Washington.

 

Em abril de 1996, foi um dos compositores brasileiros que a American Composers Orchestra convidou para participar, em Nova York, do Festival “Sonido de las Américas: Brazil”.

 

Entre suas obras, que vêm sendo cada vez mais executadas no Brasil e no Exterior, destacam-se trabalhos para piano, canto e piano, coro, conjuntos de câmara, orquestra e banda, muitos dos quais se acham editados e gravados em discos, no Brasil e  Exterior.

 

No Brasil, tem os seguintes editores: Artur Napoleão, Cultura Musical, Irmãos Vitale, Mangione e Filhos, Musicalia, Novas Metas, Ricordi Brasileira, e Secretaria  da Cultura, Ciência e Tecnologia (São Paulo); MusiMed, e Universidade de Brasília (Brasilia, DF); Funarte, e Coomusa (Rio de Janeiro); Vozes (Petrópolis). No exterior, são os seguintes os seus editores: Gotthard Döring, Hans Gerig, Moeck, Schott’s Söhnne, Tonos, e Zimmermann (Alemanha); Frangipani Press, Paul Price, Tempo Primo, e União Panamericana (Estados Unidos); Saga (Inglaterra).

 

É detentor dos seguintes prêmios em concursos de composição: Primeiro Prêmio no Concurso Nacional de Composição “Cidade de São Paulo”(promovido pela Prefeitura Municipal de São Paulo, em 1962), com a Suíte “Piratininga” para orquestra; Primeiro Prêmio no Concurso de Composição de Obras Sinfônicas (promovido pela Rádio Ministério da Educação e Cultura, do Rio de Janeiro, em 1962), com a mesma Suíte “Piratininga”; Segundo Prêmio no Concurso de Composição “A Canção Brasileira” (promovido pela Rádio Ministério da Educação e Cultura, do Rio de Janeiro,em 1962), com a canção “Mandaste a sombra de um beijo”; Primeiro Prêmio no Concurso de Composição e arranjos para Coro Misto a Quatro Vozes (promovido pela Universidade Federal da Paraíba, em 1967), com o coro “Poema da Necessidade”; Primeiro Prêmio no Iº Concurso Nacional de Composição para Instrumentos de Sopro-Trompa e Fagote (promovido pelo Sindicato dos Músicos Profissionais do Município do Rio de Janeiro, em 1984), com “Três Melodias” para fagote e piano.

 

Além desses prêmios em concursos de composição, obteve também os seguintes: Prêmio “Melhor Revelação como Compositor em 1962”, outorgado pela Associação de Críticos do Rio de Janeiro; Prêmio “Melhor Obra de Camara em 1970” (outorgado pela Associação Paulista de Críticos Teatrais), com o “Trio” para piano, violino e violoncelo; Prêmio “Melhor Obra de Câmara em 1975” (outorgado pela Associação Paulista de Críticos de Arte), com as “Quatro Peças Modais”para orquestra de cordas; Prêmio “Melhor Obra de Câmara em 1978” (outorgado pela Associação Paulista de Críticos de Arte), com “Appassionato, Cantilena e Tocata” para viola e piano; Prêmio “Melhor Obra de Câmara em 1981” (outorgado pela Associação Paulista de Críticos de Arte), com o “Concerto” para flautim e orquestra de cordas; Prêmio “Melhor Obra de Câmara em 1986” (outorgado pela Associação Paulista de Críticos de Arte), com a “Sonata” para oboé e piano; e Prêmio “Melhor Obra Sinfônica em 1994”, com “Cromos” para piano e orquestra.

 

Em 1968, recebeu, da Ordem dos Músicos do Brasil, o troféu “Ordem dos Músicos do Brasil-1968, Compositor de Música Erudita”.

 

Recebeu as seguintes medalhas: Alexandre Levy, na qualidade de Presidente da Sociedade Pró Música Brasileira, pela divulgação dada à obra daquele compositor; Marechal Candido Mariano da Silva Rondon e Brigadeiro José Vieira Couto de Magalhães, ambas outorgadas  pela Sociedade Geográfica Brasileira.

 

Foi fundador da Mobilização Musical da Juventude Brasileira (1945), e Diretor do Departamento de Divulgação da Música Brasileira (1951 e 1952), daquela entidade em São Paulo.

 

Foi fundador e Diretor Artístico da Sociedade Paulista de Arte, entidade que, de 1949 a 1955, apresentou diversos novos valores musicais ao público paulistano.

 

Foi fundador e Presidente da Sociedade Pró Musica Brasileira, entidade que, em São Paulo, de 1961 a 1966, promoveu ampla divulgação da música brasileira.  Foi novamente Presidente da mesma Sociedade, quando esta ressurgiu brevemente em 1984.

 

 

Foi fundador e é Presidente do Centro de Música Brasileira, entidade que, desde dezembro de 1984 até hoje, promove em São Paulo e outras cidades, grande divulgação da música erudita brasileira. Blog: www.centrodemusicabrasileira.blogspot.com 

  

 

Foi membro da Comissão Municipal de Música, em Santos (1965 a 1967); Presidente da Comissão Estadual de Música, em São Paulo (1967); e membro da Comissão Nacional de Música Sacra (1966 a 1970).

 

É formado em Direito pela Universidade de São Paulo (Faculdade “do Largo São Francisco”), em 1961. É “fellow” da John Simon Guggenheim Memorial Foundation (Estados Unidos), e Comendador da Ordem dos Cavaleiros da Concordia (Espanha). É membro efetivo da Academia Brasileira de Música, onde ocupa a Cadeira nº 9, cujo patrono é Tomaz Cantuaria.

 

Dedicou-se sempre intensamente ao ensino da música, na qualidade de professor de Teoria Elementar, Solfejo, Harmonia, Contraponto, Análise Musical, Composição e Orquestração. Seus livros Compêndio de Teoria Elementar da Música, Exercícios de Teoria Elementar da Música, Curso Preparatório de Solfejo e Ditado Musical, e Regras de Grafia Musical  são adotados em inúmeras escolas de música do Brasil e Portugal.

 

Destaca-se a sua participação, como professor, no Curso de Formação de Professores (da Comissão Estadual de Música, de São Paulo, de 1960 a 1962, e de 1969 a 1970); no Iº Seminário de Música de Sergipe (1967); no IIº Festival de Inverno de Ouro Preto (1968); no Curso Internacional de Música do Paraná (de 1966 a 1970, e 1975 e em 1977), e em muitos outros Cursos de Música, realizados em diversas cidades do Brasil (Campinas, Ribeirão Preto, Franca, Pindamonhangaba, Presidente Prudente, Poços de Caldas, Londrina, Natal, etc.).

 


REFERÊNCIAS:


01)-”Quem é Quem nas Artes e nas Letras do Brasil”, Seção de Música (edição do Ministério das Relações Exteriores, Departamento Cultural e de Informações - Brasilia, 1966) - págs. 152 e 153.

02)-”A Aventura da Música”, de João Caldeira Filho, volumes I e II (ed. Ricordi Brasileira - São Paulo, 1969 e 1971).

03)-”Figuras da Música Brasileira Contemporânea”, de Vasco Mariz (ed. Universidade de Brasilia - Brasilia, 1970) - págs. 91 a 93, e 198 a 203.

04)-”Compositores de América”, volume 15 (ed.Organização dos Estados Americanos - Washington, 1970) - págs. 127 a 141.

05)-”Osvaldo Lacerda - Catálogo de Obras”(ed. do Ministério das Relações Exteriores - Brasilia, 1976).

06)-”Dictionary of Contemporary Music” (ed.E.P.Dutton & Co., Inc. - Nova York, 1971) - págs. 413 e 414.

07)-”A Canção Brasileira”, de Vasco Mariz (ed. Civilização Brasileira - Rio de Janeiro, 1977) - págs. 119 a 122.

08)-”Enciclopédia da Música Brasileira - Erudita, Folclórica e Popular” (ed. Art Editora Ltda. - São Paulo, 1977) - pág.402.

09)-”The New Grove Dictionary of Music and Musicians” (editor Stanley Sadie-Londres, 1980) - vol.10, págs. 345 e 346.

10)-”História da Música no Brasil”, de Vasco Mariz (ed. Civilização Brasileira - Rio de Janeiro, 1981) - págs.242 a 249.

 


Foi o primeiro compositor convidado para o “Festival de Bar-Harbor” (Maine,USA), em Julho de 1997, tendo tido várias de suas obras executadas em inúmeros concertos, com extraordinário êxito.

 

Em 24 de novembro de 1997, recebeu o troféu “GUARANI”, outorgado pela “Secretaria de Estado da Cultura”, de São Paulo, como “PERSONALIDADE MUSICAL DO ANO”. Ainda em 1997, recebeu o “GRANDE PRÊMIO DA CRÍTICA”, da “APCA” (Associação Paulista de Críticos de Arte).

 

Em janeiro de 1999, foi convidado a participar, na qualidade de compositor, de um Festival de Música Latino-Americana, promovido pelo BARD COLLEGE em Annadale-on-Hudson, no Estado de New York. Obras suas foram então tocadas em diversos concertos promovidos pelo College. Nessa ocasião, um concerto só de suas obras   (em número de cinco ), foi apresentado na prestigiosa série de concertos da TRINITY CHURCH, na cidade de New York. Esteve o concerto a cargo da MANHATTAN CHAMBER ORCHESTRA, regida pelo entusiástico e eficiente Maestro RICHARD AULDON CLARK.

 

Em 29 de março de 2004, recebeu o Prêmio da APCA ( Associação Paulista de Críticos Teatrais ), pelo CD "Lembrança de Amor" , como melhor CD de 2003.

Em 24 de julho de 2006, ganhou a Medalha Anhanguera, a mais importante condecoração concedida pelo Estado de Goiás, pelos seus serviços prestados à Música Brasileira e à Música em geral.

 

Em 2008, recebeu uma encomenda do maestro Carlos Moreno e compôs uma peça sinfônica bastante original, intitulada “Variações concertantes sobre uma melodia de Chiquinha Gonzaga”. Essa peça estreou no dia 04 de dezembro de 2008, na Sala São Paulo, com a OSUSP sob a regência do maestro Carlos Moreno.




OsvaldoLacerda

 



Encomendas de CDs, CATÁLOGO de OBRAS e PARTITURAS, pela Internet: www.correiomusical.com.br   ou pelo telefone 0—11 2275-0834, com Sr.Eduardo Escalante.

 

Osvaldo Lacerda é casado com a pianista Eudóxia de Barros. Conheça mais sobre ela:

www.eudoxiadebarros.com.br

 


Biografia enviada por Osvaldo Lacerda para o Portal Concertino