ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

STRAUSS, JOHANN BAPTIST (1825-1899)

Última modificação : Domingo, 29 Setembro 2013 13:50


AUSTRÍACO – ÓPERA ROMÂNTICA – C. 479 OBRAS


 

Johann Strauss II, "rei da valsa" vienense, era filho de Johann Strauss I, que ensinou os vienenses a valsarem sob a música de sua famosa banda. Mesmo proibido pelo pai de seguir sua profissão, o jovem Strauss formou sua famosa orquestra e rivalizou com o sucesso paterno. Quando as operetas de Offenbach estouraram em Viena, Strauss passou a escrever também para o palco.

 

Johann Strauss, dito II (nascido Johann Baptist Strauss, Viena, 25 de outubro de 1825 – Viena, 3 de junho de 1899) foi um grande compositor austríaco da Era Romântica famoso por ter escrito mais de 500 valsas, polkas, marchas e quadrilhas. Filho de Johann Strauss I, e irmão dos compositores Josef Strauss e Eduard Strauss. Conhecido como “O Rei da Valsa”, foi responsável pela popularidade da Valsa em Viena durante o século XIX. Algumas das suas mais famosas obras incluem The Blue Danube ( O Danúbio Azul), Wein Weib und Gesang, Tales from the Vienna Woods, Tritsch-Tratsch-Polka, o Kaiser-Walzer, e da ópera Die Fledermaus (O Morcego).

 

Vida. Estudou música com Joseph Dreschler. Em 1844, aos dezenove anos, fundou uma orquestra de danças. O repertório era formado por valsas e outras danças de vários autores, de seu pai e outras de sua autoria. Fez grande sucesso. Uma de suas composições teve que ser repetida dezenove vezes em um mesmo evento.

 

Em 1872, Strauss se apresentou nos Estados Unidos. Seus concertos atraiam tanto o público como compositores consagrados, como Liszt, Brahms e Wagner.

 

Johann Strauss II compôs mais de duzentas valsas, 32 mazurcas, 140 polcas e oitenta quadrilhas, num total de 479 obras publicadas, mais dezenas de peças manuscritas e outras realizadas em parceria com seus irmãos.

 

Casou-se três vezes e mantinha inúmeras aventuras amorosas.

 

Na década de 1870 começou a escrever operetas. As duas primeiras foram Índigo (1871) e O carnaval de Roma (1873). A obra mais consagrada foi O Morcego (1874) com libreto de Carl Haffner e Richard Genèe, a partir de Le Réveillon, de Henri Meilhac e Ludivic Halèvy, ambos libretistas de Jacques Offenbach.

 

É autor das operetas Uma noite em Veneza (1883), O barão cigano (1885) e Sangue vienense (1899), entre outras.

 

 

Fonte: Wikipaedia