ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

STRAUSS, JOHANN BAPTIST (1804-1849)

Última modificação : Domingo, 29 Setembro 2013 13:51


AUSTRÍACO – ERA ROMÂNTICA – 251 OBRAS

 

Fundador da "Dinastia Strauss da Valsa", Johann Strauss I ajudou a tirar a valsa - então tradicional dança folclórica austríaca - da taberna da aldeia para introduzi-la nos mais finos salões de baile europeus. Era famoso pela verve rítmica de sua música e a elegância na regência, mas sua obra foi ofuscada pelos dons melódicos mais memoráveis de seus filhos. É conhecido hoje sobretudo pela Marcha Radetzky. 

 

Johann Strauss, dito Strauss I - nascido Johann Baptist Strauss - (Viena, 14 de março de 1804 – Viena, 25 de setembro de 1849), foi um compositor e Kapellmeister (mestre de capela) austríaco, pai de Johann Strauss II, Joseph Strauss, Eduard Strauss, avô de Johann Strauss III, nascido em 1866. Foi o fundador da “Dinastia Strauss da Valsa”.

 

É conhecido hoje, sobretudo pela Marcha Radetzky.

 

Vida e Obra

Neto de um judeu convertido ao catolicismo, sua mãe morreu de “febre” quando ele tinha sete anos. Aos doze anos perdeu o pai afogado no rio Danúbio. Sua madrasta colocou-o como aprendiz de encadernador.

 

Johann Lichtscheidl deu-lhe aulas de violino e viola. Também estudou com Johann Polischansky e durante a sua aprendizagem conseguiu assegurar um lugar numa orquestra local de Michel Pamer. Em 1825, decidiu formar sua própria banda e começou a escrever música de dança. Viajou pela Alemanha, Países Baixos, Bélgica, Inglaterra e Escócia. A condução e gestão dessa “Strauss Orchestra” acabaria por passar para as mãos dos seus filhos diversas vezes até a dissolução por Eduard Strauss, em 1901.

 

Casou-se com Maria Anna Streim em 1825 na igreja paroquial de Liechtenthal em Viena. Seu casamento foi instável devido à sua ausência prolongada. Em 1834 passou a viver com Emilie Trampusch, com quem teve seis filhos. Anna Maria pede divórcio em 1844, fato que permitiu a Johann Júnior prosseguir ativamente sua carreira musical. Strauss era extremamente rigoroso, e impôs a sua vontade sobre seus filhos para que não seguissem carreiras relacionadas com a música.

 

Strauss morreu em Viena em 1849 de escarlatina e foi enterrado no cemitério ao lado do seu amigo Döblinger Josef Lanner. Em 1904, os seus restos mortais foram transferidos para um túmulo em Zentralfriedhof.


Além de inaugurar uma dinastia musical, o aprimoramento da valsa por Strauss abriu caminho para compositores como Chopin, Brahms e Ravel, que levaram a dança para a sala de concerto.

 

 


Fonte: Wikipaedia