ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

VIVALDI, ANTONIO LUCIO (1678-1741)

Última modificação : Quarta, 01 Julho 2015 16:49



ITALIANO – ERA BARROCA – c.811 OBRAS

 

Um dos mais férteis compositores do Barroco, Antonio Vivaldi foi também um dos mais conhecidos desse período. Além de seus mais de 500 concertos, produziu diversas óperas, obras sacras vocais (incluindo seu famoso Gloria) e várias outras instrumentais, enquanto seu virtuosismo ao violino angariou-lhe fama internacional. Como seu pai, tinha cabelos ruivos, e por isso, ganhou o apelido de "Padre Vermelho".


Vida. Vivaldi nasceu em Veneza no dia 04 de março de 1678 e morreu em Viena no dia 28 de julho de 1741. Filho de um violinista, estudou música e teologia e foi, em 1703, ordenado padre. Entre 1704 e 1740 foi regente no Conservatório dell´Ospedalle della Pietà, um dos quatro grandes educandários de meninas que serviam, também, como escolas de música. Suas atividades em Veneza só foram interrompidas por viagens, como virtuose no violino. Em uma dessas viagens o músico morreu em Viena. 


Não se conhece bem a biografia de Vivaldi. Em compensação, correram muitas anedotas em torno de sua figura. Por causa de seus cabelos ruivos, era conhecido como “il padre rosso”. Teria sido suspenso das funções sacerdotais por abandonar o altar durante uma missa para anotar, na sacristia, uma bela melodia que lhe ocorrera – na verdade, Vivaldi rezou missa somente por um ano devido ao seu problema de asma. Essas e outras anedotas são sinais da grande fama de que Vivaldi gozava em vida. Mas logo depois da sua morte ele e suas obras foram totalmente esquecidos. Na época, a Itália só queria ouvir óperas.  


Caracterização. Vivaldi foi um dos maiores mestres do concerto grosso, mas também escreveu numerosos concertos para um solista com acompanhamento de orquestra de câmara. Como não conhecia a forma sonata, a estrutura de seus concertos é a mesma dos Concertos de Brandemburgo, de J.S.Bach, sobre o qual Vivaldi exerceu forte influência. Sua riqueza melódica é inesgotável, e sua verve rítmica é irresistível. A estrutura polifônica é menos densa que a de Bach. Vivaldi foi, sem sobra de dúvida, um compositor de primeira grandeza, um dos pioneiros da música instrumental do século XVIII. 


Concertos. Uma das principais obras publicadas de Vivaldi é o Estro armonico (1712), coleção de 12 concerti grossi. Seis desses concertos foram transcritos por Bach para órgão ou cravo, entre eles o de nº8 em lá menor, o de nº10 em si menor e o de nº11 em ré menor, este último uma das mais famosas composições de Vivaldi. Dos concertos da coleção Cimento dell´armonia e dell´invenzione (1720), quatro formam o conjunto Le Quatro stagioni (As Quatro Estações). Também são muito conhecidos os 12 concerti grossi da coleção La Stravaganza (A Extravagância), título que cabe a um bom número das obras do compositor, caprichosas e altamente pessoais. Numerosos concertos de Vivaldi ainda não foram publicados. A Biblioteca Nazionale em Turim possui um grande acervo de obras inéditas do mestre. 


Música vocal. Em Turim, também se encontram as partituras de 19 óperas do belo oratório Judilha triumphans (1716) e, sobretudo, de música sacra – merecem menção especial um Magnificat, um Stabat Mater e um maravilhoso Dixit para cinco solistas, duas orquestras e dois órgãos. 


Redescoberta. Vivaldi esteve durante duzentos anos totalmente esquecido. Sua redescoberta, por volta de 1940, deve-se a alguns musicólogos, sobretudo Marc Pincherle. A divulgação é devida ao conjunto romano I Virtuosi, dirigido por Renato Fasano e, especialmente, aos discos. Vivaldi voltou a ser um dos compositores mais tocados e teve de volta a merecida popularidade e reconhecimento. 




Fonte: Enciclopédia Mirador Internacional