ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

Woody Allen e a Música Clássica

Última modificação : Domingo, 08 Outubro 2017 11:07


 

 

A paixão de Woody Allen pela música clássica está naturalmente registrada na trilha sonora de seus filmes – sem contar a dedicação pelo seu clarinete que o diretor não abre mão de tocar nas horas vagas.

 

 

Tudo pode dar certo

 

O personagem principal de “Tudo pode dar certo” se chama Boris, um ex-físico especializado em mecânica quântica que quase ganhou um Prêmio Nobel certa vez. Boris resmunga sobre a vida até a ingênua Melody entrar em cena. A garota pede abrigo após ter fugido de casa. No desenrolar do filme, a mãe de Melody encontra a casa de Boris – ao som da 5ª Sinfonia de Beethoven – bem no instante em que ele diz que para ouvir Música Clássica é preciso sentir o destino batendo à sua porta. Woody Allen também usou a 9ª Sinfonia nesse filme. Além de Beethoven, a Royal Philharmonic Orchestra interpretou a “Marcha Nupcial” de Felix Mendelssohn. A trilha sonora conta, ainda, com “Desafinado”, de Antonio Carlos Jobim.

 

Veja o trecho com a 5ª Sinfonia de Beethoven no filme: http://bit.ly/RxjipZ

 

 

Manhattan

 

Considerado um dos maiores clássicos de Woody Allen, o belíssimo filme Manhattan é uma combinação perfeita entre os diálogos apaixonados, o preto e branco de Nova York e a trilha sonora composta pelas músicas do pianista, maestro e compositor George Gershwin. Além de apresentar cerca de doze canções de Gershwin, Woody Allen utilizou a Sinfonia nº 40 de W. A. Mozart na trilha sonora.

 

Veja a primeira parte deste belo filme acompanhado da música "Rhapsody in Blue", de Gershwin: http://bit.ly/QnoWtT

  


Match Point

 

Com influências da literatura (conta-se que o filme foi inspirado em um romance de Dostoievski) e uma trilha sonora cheia de grandes nomes da música clássica, o filme “Match Point”, de Woody Allen, fala sobre escolhas. A trilha sonora é composta por óperas de grandes compositores, entre elas, La Traviatta, Rigoletto e Otello de Verdi; Salvator Rosa de Carlos Gomes; I Pescatori di Perle de Bizet e Guglielmo Tell de Rossini.

 

Veja uma das principais cenas do filme com trilha Desdemona Rea, Si, Per Ciel, de Otello: 

http://youtu.be/oqg5xlWp5PI

 
 

 

Para Roma, com Amor

 

Em “Para Roma, com Amor”, Woody Allen é um empresário de Música Clássica que está desempregado. O personagem tenta promover o dono de uma funerária que tem um incrível talento para ópera, mas enfrenta um problema: só consegue cantar debaixo d’água. O ator que interpreta o “cantor do chuveiro” é, na verdade, o famoso tenor Fabio Armiliato. Na maior parte das cenas em que aparece, canta debaixo d’água (inclusive nas grandes salas de concerto é preciso improvisar um chuveirinho temporário para que a cantoria se desenrole). A trilha sonora do filme conta com Puccini e Verdi, interpretadas pelo próprio Fábio.

 

Veja este trecho do filme: https://youtu.be/6wz9CbuC--w