ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

CORELLI, ARCANGELO (1653-1713)

Última modificação : Quarta, 10 Julho 2013 17:31


ITALIANO - ERA BARROCA - c.82 OBRAS

 

Corelli foi o mais famoso violinista-compositor do barroco, e um dos mais influentes depois de Monteverdi. Embora sua produção integral resuma-se a seis antologias, sua escrita instrumental era admirada pelo refinamento harmônico e estilo brilhante, tendo sido referência crucial para muitos compositores, entre eles Bach e Haendel.

 

Vida. Compositor e violinista italiano, Arcangelo Corelli nasceu em Fusignano a 17 de fevereiro de 1653 e morreu em Roma a 08 de janeiro de 1713. Único músico de uma família de aristocratas, só aos 13 anos iniciou seus estudos sistemáticos de violino e composição. Após um período de obscuridade, apareceu em Roma (1685), entre os violinistas da igreja de San Luigi dei Francesi. Nessa época publicou suas primeiras obras: sonatas para dois violinos e um baixo, com acompanhamento de órgão.

 

Caracterização. Em pouco tempo Corelli alcançou sólida reputação junto aos altos círculos de Roma, não lhe faltando inúmeras homenagens. Chamaram-no de "arcanjo mesmo" e "verdadeiro Orfeu". Foi Corelli quem emancipou o violino das funções de mero acompanhador, completando o processo de dignificação do instrumento iniciado com a genialidade artesanal dos Stradivarius, Guarnieri, Amati. Estabeleceu as bases de uma literatura violinística onde a sonata-forma, pioneira da moderna música instrumental, já se anuncia.

 

É uma sonata sua obra mais conhecida até hoje: La Folia, que integra uma coletânea compreendida no opus 5 (1700). O significado de folia talvez venha a ser o de uma dança espanhola de grande nobreza. Também o Concerto grosso teve de Corelli um tratamento ampliador do gênero, destacando-se o de número 8, do opus 6 (1714).

 

Experiências humilhantes como intérprete levaram Corelli a um recolhimento melancólico. Nem por isso deixaram de lhe homenagear a memória. Foi sepultado no Panteão de Roma, perto de Rafael.

 

Obras. Cinco coletâneas de sonatas (sonatas de igreja e de câmara) para dois ou três violinos com baixo e órgão, ou com cello e cembalo (1685-1700); concerti grossi opus 6 (1712-1714).

 

 

Fonte: Enciclopédia Mirador Internacional