ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

SINFONIA ALPINA, OP.64

Última modificação : Sexta, 25 Julho 2014 17:22


STRAUSS, RICHARD (1864-1949) 

ALEMÃO – ERA ROMÂNTICA – 189 OBRAS 


 

Número de catálogo: Op.64 ; TrV 233

Ano da composição: 1911-1915

Data da estreia: 28 de outubro de 1915, em Berlim

Dresden Hofkapelle, Richard Strauss (regente)

Primeira publicação: 1915

Dedicatória: Nicolaus Seebach e Royal Orchestra

Estilo: Início do século XX

 

Instrumentação:

2 piccolos, 2 flautas, 2 oboés, corne inglês + oboé, heckelfone, clarineta em E, 2 clarinetas em B, clarineta baixo em B, clarineta em C, 3 fagotes, contrabaixos, 4 trompas em F, 4 tubas wagnerianas + 5-8 trompas, 4 trompetes (2 B, 2 em E, C), 4 trombones, 2 tubas, 2 conjuntos de tímpanos, percussão (caixa clara, bombo, címbalos, triângulo, tam-tam, sinos, máquina de vento, thundersheet, glockenspiel), 2 harpas, celesta, órgão, cordas.

 

Instrumentação fora do palco: 12 trompas (E), 2 trompetes (C), 2 trombones.


 

Eine Alpensinfonie (Uma Sinfonia Alpina), Op. 64, é um grande poema sinfônico composto por Richard Strauss entre 1911 e 1915.

 

O programa ilustra uma excursão de um dia subindo os Alpes Bávaros, recordando na magistral orquestração a experiência de uma escalada realizada pelo próprio compositor quando ele tinha catorze anos. A música cumpre um programa expresso em partes narrado pelo próprio compositor: a subida a um pico do Alpes Bávaros e o retorno ao vale.

 

Uma execução típica dura em torno de quarenta e cinco minutos.

 

O compositor lançou mão de toda a variedade cromática da orquestra para transmitir as impressões que lhe produzem cada um dos momentos vividos e das situações passadas na subida. Richard faz nesta obra uso exclusivo do leitmotiv, associando cada um dos elementos presentes (noite, sol, chuva) a um tema musical.

 

Strauss considerava esta obra como o seu mais perfeito trabalho de orquestração, que inclui até máquinas que produzem sons de trovões. Os primeiros esboços datam de 1911. Em 1914, Richard Strauss dedicou-se com mais intensidade a essa obra e, após 100 dias de muito trabalho, a partitura foi concluída em 8 de fevereiro de 1915.

 

A primeira execução da obra foi no dia 28 de outubro de 1915, com a Orquestra de Dresden, em Berlim, sob a regência do próprio compositor.

 

A Sinfonia Alpina está dividida em 23 partes, ligadas entre si, sem nenhuma interrupção:

 

01. Noite;

02. O nascer do sol;

03. A ascensão

04. Entrada na floresta;

05. Caminhando às margens do regato;

06. A queda d'água;

07. Aparição;

08. Nos prados floridos;

09. Nos pastos;

10. Perdido na espessura;

11. Na geleira;

12. Momentos perigosos;

13. O cume;

14. Visão;

15. Aparecem nuvens;

16. O sol se escurece pouco a pouco;

17. Elegia;

18. Calma antes da tormenta;

19. Temporal e tempestade;

20. A descida;

21. O pôr do sol;

22. Ressonâncias;

23. Noite.

 

 

Vídeo