ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

Schumann | Curiosidades

Última modificação : Terça, 19 Abril 2016 15:34


 

POESIA EM FORMA DE MÚSICA

A familiaridade de Robert Schumann com a poesia revela-se nos títulos de boa parte de suas composições, a exemplo de "Cenas infantis op. 15" (Kinderszenen), uma de suas principais peças para piano, escrita 1838, e que contém subtítulos como esses: "Completamente feliz", "Um acontecimento importante", "O cavalo de balanço" e "Criança a adormecer".


CASAMENTO COMO REMÉDIO

Quando começou a sentir os primeiros sintomas de problemas mentais, Robert Schumann procurou a ajuda de um médico. Este, como remédio, recomendou que o compositor tratasse imediatamente de arranjar um bom casamento. Schumann chegou a ficar noivo de uma moça, Ernestine von Friecken, a quem dedicaria muitas de suas obras. Mas o noivado foi bruscamente interrompido pelo músico, que decidira assumir mesmo o romance com Clara Wieck e enfrentar o furioso pai da futura esposa.

 


NO FUNDO DA GAVETA

A obra que Robert Schumann compôs em seus últimos anos de vida não tem o mesmo brilho de seu trabalho anterior, especialmente o dos tempos de mocidade. Por causa disso, alguns amigos do compositor trataram de esconder parte de sua produção, buscando evitar que passassem à posteridade. O violinista Joseph Joachim, seu amigo íntimo, guardou no fundo da gaveta o "Concerto para violino e orquestra", composto em 1853 e dedicado a ele. A obra só veio a público no século 20, por iniciativa dos descendentes do artista.

 


O MÉDICO E O MONSTRO

Schumann assinou alguns de seus artigos críticos com dois recorrentes pseudônimos: Eusebius e Florestan. Com o primeiro, adotava um tom sensível e poético. Com o segundo, escrevia textos impetuosos e dramáticos. A mesma dicotomia também esteve presente em sua obra musical, na qual algumas peças ora levam a assinatura de Eusebius, ora de Florestan. O que parece ser um interessante recurso estético foi considerado, por alguns biógrafos, sintoma da "dupla personalidade" do atormentado compositor.


SEM PROVAS

Brahms estava morando com Schumann, na condição de aprendiz, quando os sintomas da loucura do mestre se manifestaram com maior nitidez. Alguns biógrafos insinuam que, neste período, e por um longo tempo após a morte de Schumann, o jovem Brahms e a viúva Clara tenham vivido um caso de amor secreto. Previdentes, os dois trataram de eliminar toda a correspondência travada entre si.