ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

CAMPRA, ANDRÉ (1660-1744)

Última modificação : Sexta, 06 Março 2015 14:51


 

FRANCÊS - PERIODO BARROCO

 

(Aix-en-Provence, [batismo] 04 de dezembro de 1660: Versalhes, 29 de junho de 1744)

 

Foi um dos compositores de ópera mais respeitados no período entre Jean-Baptiste Lully e Jean-Phillipe Rameau. Escreveu várias tragédies en musique mas sua fama se deve a ser o criador do novo gênero opéra-ballet. Escreveu três livros de cantatas, música sacra, inclusive um réquiem.


 

Compositor francês. Tornou-se capelão em Aix, depois maître de chapelle em Arles (1681-1683) e maître de musique em Toulouse (1683-1694). Mudou-se para Paris em 1694, foi maître de musique na Catedral de Notre Dame até 1700. Além de música sacra, escreveu para a Ópera, e com "L´Europe galante" (1697) criou um gênero novo e popular, a opéra-ballet. Tornou-se "conducteur" naquele teatro em 1700, continuando a compor obras cênicas de sucesso até os anos 1730. Luís XV concedeu-lhe uma pensão em 1718; e em 1722 tornou-se diretor musical do príncipe de Conti (para quem escreveu divertissements {divertimentos]).

 

As quatro opéra-ballets de Campra, especialmente "Les fêtes vénitiennes" (1710), mostram a melhor forma de seu estilo musical, com caracterização forte e expressiva, e danças cheias de imaginação. Suas dez tragédies lyriques, tais como "Tancrède" (1702), tem efeitos pictóricos e dramáticos que influenciaram Rameau. Expandiu o idioma de Lully com mais colorido orquestral e harmônico, detalhe melódico à italiana, ritmos no estilo de concerto, e formas de ária da capo. As ideias italianas também aparecem em suas cantatas solo (3 livros, 1708-1728), em alguns de seus motetos (5 livros, 1695-1720) e em outras obras sacras.

 

O irmão de Campra, Joseph (1662-1744), tocou na orquestra da Opéra e mais tarde em Dijon, onde foram encenados dois dos seus divertissements; também compôs airs [canções].



 

 

 

Fonte:

Dicionário Grove de Música, Edição concisa, Zahar