ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

Sinfonia nº 40 de Mozart, A

Última modificação : Quarta, 25 Julho 2018 14:29




A Sinfonia nº 40 é considerada como a obra mais pessoal de Mozart. Ela foi escrita em um momento crítico de sua vida, no qual se debatia com problemas financeiros e com o descaso do público, que não se interessava mais pelo ex-menino compositor-pianista prodígio. Diante desse cenário, aparentemente desfavorável, nasceu uma das maiores composições da música clássica. Finalizada em 25/07/1788, traduz um tom trágico e emocionalmente intenso, sendo por isso chamada de “a sinfonia da paixão, violência e pesar”. É, sem dúvida, uma das mais belas obras de Mozart.

Confira bela apresentação desta sinfonia: https://youtu.be/_JAPx7_ra_A


 

As três últimas sinfonias de Mozart - n. 39, 40 e 41 constituem um milagre sobre o qual se debruçam, até hoje, entendidos ou simples amantes da música. Elas foram compostas, em rápida sucessão, durante o verão de 1788 ­o que, por si só, já seria um feito inacreditável.

 

Aqui você ouve o primeiro movimento da Sinfonia nº 40, com a Filarmônica de Viena:  http://bit.ly/VdJWwv

 

 

Ludwig van Beethoven conhecia bem esta sinfonia de Mozart e copiou 29 compassos da partitura num de seus cadernos. Acredita-se que o tema de abertura do último movimento possa tê-lo inspirado a compor o terceiro movimento de sua Quinta Sinfonia. Além disso, o primeiro movimento da sua Sonata para piano Opus 2, número 1 em fá menor parece ecoar alguns dos motivos rítmicos do último movimento da sinfonia nº 40 de Mozart.

 

Confira aqui um interessante documentário sobre a vida de Mozart: http://youtu.be/AekOuaZARVM

 

 

A sinfonia Nº40, de Mozart, despertou interpretações variadas de seus críticos. O compositor Robert Schumann via-a como possuindo uma "graça e leveza grega". O musicólogo britânico Donald Francis Tovey via nela o caráter de uma ópera-bufa. A percepção atual, no entanto, é de que a sinfonia apresenta um tom trágico, e intensamente emocional; o pianista e crítico Charles Rosen a chamou de "uma obra de paixão, violência e dor."Embora as interpretações sejam divergentes, a sinfonia é, sem sombra de dúvida, uma das obras mais admiradas do compositor, e uma das mais executadas e gravadas.


Saiba mais sobre a Sinfonia nº 40

 

 

 


Frase Mozart I