ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

Robert Schumann

Última modificação : Domingo, 15 Fevereiro 2015 12:52



 

"Ele ouvia as vozes dos anjos e anotava suas músicas. Mas logo os anjos se transformaram em demônios". A frase, dita por um amigo do compositor, define aquela que foi a maior batalha de Robert Schumann durante toda a vida: a luta contra a loucura. Bem poucos artistas encarnaram o espírito do romantismo tão bem quanto ele. Continue lendo


 

Robert Alexander Schumann nasceu em Zwickau, Saxônia (Alemanha) em 1810. Cresceu entre livros --seu pai era livreiro e editor. A mãe, uma mulher culta. Esse ambiente doméstico favoreceu a aproximação do menino com a poesia e a literatura em geral. Era admirador de Lord Byron e E. T. A. Hoffman símbolos de um romantismo às vezes soturno e melancólico, de quem recebeu notória influência em sua obra musical. O próprio Schumann se dedicou à literatura. Além de músico e compositor, era poeta, o que levou parcela da crítica mais apressada a defini-lo como um escritor que, por engano, entregou-se à música.

Confira as melhores composições de Schumann. http://bit.ly/13hiDlX


 

A primeira das desventuras de Schumann ocorreu bem cedo. Apaixonou-se e foi correspondido por Clara, a filha de seu professor de música, o severo Friederich Wieck. O professor, que havia criado Clara para ser uma virtuose do piano, não aprovou o namoro dos dois jovens. Schumann era um dos mais pobres e, imaginava ele, menos promissores de seus alunos. O antigo mestre tornou-se, então, um feroz inimigo.

 

Schumann e seus pseudônimos: http://bit.ly/1r38tlh


Confira também a biografia de Clara Schumann. http://bit.ly/VEEdQJ

 


Aos 22 anos, Robert Schumann já sentia os efeitos de uma doença degenerativa que iria lhe dificultar o movimento dos dedos e, em pouco tempo, impossibilitá-lo de continuar tocando piano. A acalentada ideia de se tornar um grande concertista caiu por terra. Em compensação, Schumann passou a se entregar com afinco ao exercício da composição. Aos 25 anos, em 1835, produziu uma de suas obras-primas, Carnaval. Mas, à época, a fama da mulher como exímia instrumentista crescia mais depressa do que a sua. Tratado como "o marido da pianista", sofreu com crises de depressão e, posteriormente, começou a sentir alucinações e surtos psicóticos.

 

Aqui você assiste o vídeo com Concerto para Piano em lá menor, Op. 54 : http://youtu.be/Ynky7qoPnUU


Saiba mais sobre Cenas Infantis, conjunto de treze pequenas peças para piano solo, composto por Schumann em 1838. http://bit.ly/1qQCbZh

 

A partir de 1845, a qualidade das obras de Schumann visivelmente começou a cair. Deprimido, em 1856, as ideias de suicídio passaram a atormentar-lhe com insistência. Naquele ano, chegou a jogar-se no rio Reno, mas foi salvo por um grupo de barqueiros. Por vontade própria, foi enviado logo depois a um manicômio em Endenich, próximo a Bonn, onde morreu ao lado da esposa, Clara, e do amigo e discípulo Brahms.

 

Veja o documentário "Vida e Tragédia", que conta a história de Schumann: http://bit.ly/13UdSOZ

 

 

 


Frase Schumann I