ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

CHAPÉU DE TRÊS PICOS, O

Última modificação : Quarta, 23 Julho 2014 17:40


 

MANUEL DE FALLA (1876-1946)

ESPANHOL – ESCOLA NACIONALISTA ESPANHOLA/IMPRESSIONISMO - 25 OBRAS

 

 

El sombrero de tres picos

 

Balé em dois atos

Ano da composição:1919

Data da estreia: 22 de julho de 1919, Alhambra Theatre, Londres

Primeira publicação: 1921

Libretista: Gregorio Martínez Sierra [Lejárraga], baseado em Pedro de Alarçon

Idioma: Espanhol

Estilo: século XX

Instrumentação: mezzo-soprano solo e orquestra

 

Remontagem original: Maria Dolores Pestelli

Coreografia original de: Léonide Massine

Cenas e costumes originais de: Pablo Picasso

Ballets Russos de: Serge Diaghilev

Interpretes: Léonide Massine (moleiro); Tamara Karsavina (moleira); Léon Woizikowky (corregedor).

 

Este famoso balé, inspirado no romance de Pedro Alarçon, nasceu originalmente como pantomina, em Madri, no ano de 1917. Mas a sua consagração veio somente com o aparecimento do Ballet-russe, em uma extraordinária ocasião de arte assinada por Léonide Massine. Foi, este, um dos momentos mais estimulantes na atividade do Ballet Russo, o encontro com a cultura espanhola, o encontro moderno entre a música de Falla e os desenhos de Picasso, a recuperação da comédia brilhante com todas as implicações do grotesco e do satírico; a apropriação das danças espanholas por parte de Massine foram exemplares, do Fandango da Moleira, à famosa Farruca do Moleiro e a grande Jota final.

 

 

Enredo:

Em uma pequena vila espanhola, o moleiro e sua esposa vivem felizes, são jovens e belos e estimados por todos. A harmonia do casal, é, no entanto, quebrada pela chegada do Corregedor, o governador da província, que corteja insistentemente a bela moleira. Rejeitado, o velho de chapéu de três picos (chapéu de três picos, símbolo do grau de governador usado a 2 séculos atrás na Espanha), manda prender o moleiro para tentar a conquista da jovem mulher. Ela, todavia, foge, depois de deixa-lo cair no córrego. O velho corregedor, furibundo, coloca para secar suas roupas e põem uma camisola achada no moinho. Aqui nasce um equivoco, porque os soldados prendem o próprio comandante, pensando que era o moleiro; este, por sua vez, fugido do cárcere, crê estar sendo traído e ameaça o corregedor. Tudo no final se resolve com a revolta da população que expulsa o corregedor e soldados.

 

 

Vídeo




 

 

Fontes:

Ballet Nacional do Brasil

IMSLP/Petrucci Music Library