ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

José Pablo Moncayo

Última modificação : Quinta, 12 Fevereiro 2015 17:27



 

Em meio à célebre música popular mexicana, reconhecida internacionalmente por suas danças típicas, balés folclóricos e suas famosas canções rancheiras, o compositor José Pablo Moncayo desponta como o autor de uma das obras clássicas mais inovadoras da história do país dos mariachis. Revelando uma inédita técnica de orquestração, seu concerto nacionalista Huapango (1941) possui arrebatamentos surpreendentes que impressionam os mais céticos dos ouvintes.

 

 

Batizado José Pablo Moncayo Garcia, em 1912, na cidade de Guadalajara, em Jalisco, o compositor cresceu no meio de um universo musical apaixonante. Com suas ricas tradições folclóricas e grande concentração de músicos, Guadalajara é considerada o berço da cultura mariachi. Pablo Moncayo formou-se no respeitado Conservatório Nacional de Música do Distrito Federal, onde estudou piano e composição sob a orientação de nomes como Carlos Chavez e Eduardo Hernández Moncada. Consta que para pagar seus estudos, o mexicano tenha tocado piano com grupos de jazz que se apresentavam nos populares bares, cafés e restaurantes de Cidade do México. 

 

Confira aqui um grande sucesso do compositor, Terra de Temporal: http://youtu.be/XHgCHSRhSME

 

Nos Estados Unidos, Pablo Moncayo conseguiu aperfeiçoar ainda mais suas técnicas de composições e expandir seus conhecimentos com Aaron Copland. Nesse período, Moncayo já era bastante conhecido entre os músicos profissionais. Tanto que, de volta a seu país, recebeu o convite para trabalhar como percussionista na tradicional Orquesta Sinfônica de la Ciudad de México. 

 

Ouça aqui outra composição de Moncayo, Amatzinac: http://youtu.be/t9yA-C3GYTQ

 

 

A obra mais conhecida de Moncayo continua a ser a fantasia orquestral Huapango (1941), mas a sua produção também inclui muitas outras obras de grande qualidade, apesar de serem menos famosas. Entre estas encontram-se a ópera La Mulata de Córdoba (1948); Muros Verdes - peça para piano solo (1951); as peças orquestrais Amatzinac (1935), Sinfonía (1944), Sinfonietta (1945) e Bosques (1954); o ballet Tierra (1958) e Homenaje a Cervantes para dois oboés e orquestra de cordas (1947).

 

Ouça aqui Huapango: http://youtu.be/YA0VI-5EBIw

 

 

Anos mais tarde, em 1949, Pablo Moncayo conquistou a direção da Orquesta Sinfônica Nacional, que conduziu até a sua morte, em 1958. Músico inquieto, também fez sucesso com as apresentações do conjunto de câmara chamado Grupo de los Cuatro, ao lado de Blas Galindo, Salvador Contreras e Daniel Ayala. Os artistas deram origem a uma curiosa formação, que misturou as técnicas de orquestração com ritmos, melodias e harmonias da música popular do México.

 

Ouça aqui “Cumbres”, uma das composições menos conhecidas de Moncayo: http://youtu.be/CpFoWP7tRy8