ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

REQUIEM EM RÉ MENOR, K.626

Última modificação : Quinta, 02 Janeiro 2020 14:12


 

WOLFGANG AMADEUS MOZART (1756 – 1791)

AUSTRÍACO – ERA CLÁSSICA - 655 OBRAS

 

Título alternativo: Missa pro defunctis; Seelenmesse

 

Ano da composição: 1791. Devido à morte de Mozart ficou inacabado e acredita-se que foi finalizado por seu aluno e amigo Franz Xaver Süssmayr (1766–1803) em 1792.

Primeira apresentação: 02 de Janeiro de 1793

Primeira publicação: 1800 (partitura completa) - Leipzig: Breitkopf und Härtel, 178 páginas;

1812 (partes) – Vienna: Chemische druckerei, 1806 (instrumental), 1812 (vocal).

Idioma: Latin (+ translations)

Estilo: Clássico.

 

14 movimentos (em 7 sessões litúrgicas)

I. Introitus: Requiem aeternam (coro com solo de soprano)

II. Kyrie (coro)

III. Sequentia:

Dies irae (coro)

Tuba mirum (solo de quarteto)

Rex tremendae majestatis (coro)

Recordare, Jesu pie (solo de quarteto)

Confutatis maledictis (coro)

Lacrymosa dies illa (coro)

IV. Offertorium:

Domine Jesu Christe (coro com solo de quarteto)

Versus: Hostias et preces (coro)

V. Sanctus & Benedictus:

Sanctus (coro)

Benedictus (solo de quarteto e coro)

VI. Agnus Dei (coro)

VII. Communio:

Lux aeterna (solo de soprano e coro)

 

Instrumentação vocal: Solistas (SATB), Coro (SATB)

 

Orquestração:

2 clarinetes

2 fagotes

2 trompetes

3 trombones (alto, tenor e baixo)

Tímpanos

Órgão.

Instrumentos de cordas: violinos (primeiros e segundos), violas, violoncelos e contrabaixos.


 

Incipit *


Incipit Requiem

 

Fonte original da imagem: IMSLP/Petrucci Music Library


 

O Réquiem em ré menor, K.626 de Mozart teve sua estreia em Viena, no dia 2 de Janeiro de 1793. A conhecida história da obra é obscura e misteriosa: conta-se que um anônimo austríaco teria encomendado o Réquiem para uma missa fúnebre, entretanto, Mozart morreu antes de finalizá-la.

 

Posteriormente se supôs que aquele sombrio personagem era um enviado do conde Walsegg-Stuppach, cuja esposa havia falecido. O viúvo desejava que Mozart compusesse a missa de réquiem para os ritos fúnebres no enterro de sua esposa, mas faria crer aos presentes que fora ele quem compôs a obra (por isso o anonimato).

 

Acredita-se que a obra foi finalizada por Franz Sussmayer - aluno preferido de Mozart - a pedido de Constanze Weber - esposa do compositor - que precisava dos direitos autorais do marido sobre a composição para cobrir as despesas da casa e dívidas do casal.

 

A obra teve sua estreia em Viena, 02 de Janeiro de 1793, em um concerto em benefício da viúva de Mozart, Constanze Weber. Foi interpretado novamente em 14 de Dezembro de 1793, durante uma missa para a esposa da Walsegg.


 

(*) Nos catálogos de música, particularmente nos catálogos de sinfonias, o incipit consiste nos três primeiros compassos da parte do spalla - tal como ocorre com algumas composições de Mozart, no Catálogo Köchel.


 

Vídeo





 

Fontes:

Wikipedia.org

IMSLP/Petrucci Music Library